sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Segunda Fase


"Saudações, senhoras e senhores!
Vou compartilhar uma verdade que inventaram pra gente
Eu nunca confiei em pessoas que usassem coroas para simbolizar que poderiam dominar certo número de gente
Nasci querendo ser só meu e assim sou
A maioria das pessoas não gostam dessa conversa, essas pessoas que assistem televisão ao ponto de não piscarem os olhos, para não perderem um segundo da vida que querem ter e não podem, pobres homens...
Todos eles amam ficção, sem se interessar pela história mais simples, mas que seja verídica
Já perdi algum tempo escutando os sábios de coisa alguma falarem sobre homens com coroas
E todas as vezes cheguei ao mesmo ponto de onde comecei
Nada, nada que distraia me atrai
O mundo é meu, que acordo todos os dias pisando em um chão de verdade, onde me torno uma engrenagem e faço parte para tudo isso rodar
Esse mundo é meu, onde vou e volto com minhas próprias pernas, sem necessidade das muletas dessa ficção que mata gente, que cria as guerras e que faz os fracos se ajoelharem em busca de um perdão para os pecados que desconhecem
Não me sinto confortável em frente à grande tela, que mostra vidas que não foram vividas, vidas inventadas, inventadas para distrair, enquanto algo acontece lá fora
O que acontece lá fora, os senhores sabem bem?
Muita gente sabe!
Mas quem sabe, quer esconder."

Disse o velho louco de tão lúcido.