quarta-feira, 12 de maio de 2010

Fora de alcance

Eu morro cada vez que escrevo algo novo
Morro quando percebo que não entendeu nada do que eu quis dizer
Eu morro a cada dia que eu lembro dos dias
Morro cada dia que planejo meus dias
Eu morro cada vez que tu vens aqui ler o que eu sinto
Morro se sente o que eu escrevo
Eu morro se não ligar para nada
Morro quando me liga
Eu morro por ti
Acabo ficando sem tempo para viver.