segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Por Perto

Ela começou, já pensando em parar
Logo vi que não era daqui
Mas aqui ficou
É como um metal afiado, solto dentro de um corpo, que a cada pequeno movimento ele fere por dentro e causa estrago
É assim que sinto ela aqui dentro, sempre afiada
Eu quase acreditei que fosse de verdade toda a sua verdade, mas não era
Contava histórias e falava sobre um mundo maravilhoso, um mundo novo para mim
Mas era só o mundo que ela queria pertencer, mas não pertencia
Quando a gente quer pertencer a algo ou alguém, perdemos a liberdade, só por querer
Eu quis ser livre, mas acabei preso nesse mundo que ela nem se quer visitava.