segunda-feira, 4 de julho de 2011

Vida

Disse o velho louco de tão lúcido
Disse ao velho amigo
Amigo velho porque não é mais:
“É fácil sentir o que sentem sobre a gente, é fácil saber quem nos aprova, difícil é a gente sentir o mesmo, com a mesma força, e com toda essa atração distraída, eu mal vi a minha vida viver do jeito que gostaria de ter visto vivendo.
Tive tudo que não queria, tive medo do escuro, enquanto às claras a maldade crescia mais e muito rápido, tive medo de dizer, enquanto um mundo despreparado gritava aos ouvidos de todos.
Agora que estou velho e aprendi o caminho, mal consigo me levantar ou enxergar a um palmo, os anos me jogaram uma mente cansada e um corpo incapaz de me acompanhar, sem escolhas nasci, sem escolhas cresci, envelheci e agora mais uma vez sem escolhas estou me despedindo de ti.
Quem me dera poder nascer novamente, na mesma época, com o mesmo roteiro e com esses mesmos olhos que já viram tudo que o coração precisava sentir”.