domingo, 29 de janeiro de 2012

Rodoviário

Não há o que eu não goste
E não há o que goste demais de mim
Foi sempre assim, das vezes que achei que fosse o fim
Mas me enganei outra vez
Em uma noite mal dormida
Um mal, não deixando a noite ir embora
E a gente rola daqui praí, o tempo inteiro.
Eu pensando que fosse só saudade, mas ela nunca anda só
E sempre sabe onde me encontrar
Só tu que nunca chega.