domingo, 27 de dezembro de 2015

Fim de Mim

E por quê você achou que encontraria em mim
Algo que você sabe bem que raramente alguém tem?

Nunca espero receber o mesmo tratamento que dou a alguém
As pessoas são o que são e sempre acabam decepcionando quem espera demais
E eu sempre espero, aí está a decepção que me causo
Não se deve esperar muito, o mundo não nos deve nada, nem ninguém, isso eu penso que sei 
Desde muito cedo sabemos bem o que fazer para nos tornarmos melhores do que somos
Acredito que um pouco de atenção já faria dos nossos dias melhores, faria alguma diferença
Prestar atenção no que se é, no que se pode ser
Mas as pessoas estão muito ocupadas com coisas que possam ter, até tê-las e logo esquece-las para ter mais de outras coisas
Se esquecem ou parecem nem perceber que o que necessitamos para os dias, são as coisas que vem de dentro, do escuro, vem da gente
E ainda há essa luta interna, no meio do peito, um duelo do lado esquerdo contra direito, uma força querendo chegar ao centro
Eu torcendo pra que empate e a disputa nunca chegue ao fim, até porque seria o fim de mim
É essa força que me faz questionar e ter dois pontos de vista sobre tudo que eu vejo e sinto
Eu aprisionava uma menina em uma garrafa
Costumava lisonjeá-la de uma maneira horrível em como minha mente podia imagina-la
Dizia sorrindo, o que me arrependia amargamente ao acabar de dizer
Aí veio o silêncio e ensinou
Nessa luta que é a existência, insisto em manter o que é belo, sabendo que mesmo os dias de verão sendo mais longos, logo acabarão, logo teremos um fim
Só não podemos deixar dentro, deixar no escuro, o que temos de belo, porque o mundo precisa da nossa beleza.