segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Passando Café

Venho perdendo paciência com o passar dos dias
O pouco que tinha e tenho, vai ficando em cada trecho que tenho andado em vão
Deitar pra não dormir, eu fiquei pensando e levantei
Venho perdendo paciência com o passar do tempo
E como passa com pressa
Tem dias que eu não vejo, só sinto a vida escorrer e haja saco pra caber
Das vezes que só observo passar, parado
Muitas vezes, passa de um jeito dolorido, descolorindo, me fazendo escrever
Que bom que também passa
De um modo que eu não tenha como lembrar
Do que eu ainda não consigo ser, que posso e deveria ao menos parecer
Quem dera não parecer com nada, não criar esperança pra no futuro perder
Sem valor, sem nada
Espero e o tempo passa
O futuro que imagino chega mostrando que eu tô errado esperando parado, virando o passado que não admiro em ser.
Dizem pra esperar, que a hora certa chega
Mas se toda hora vai, quem vem dizer que já não passei?
Passa e morro de saudade de não ter sido
Passa e morro em cada tempo que esquecido
Passa e quando eu sinto assim, fico parado
No passado, só não passa a saudade que não tem tempo
Mas tá tudo bem aqui, a vida é feita assim, frase feita e fim
Vai passar.