quarta-feira, 30 de junho de 2010

Um Quarto Cheio de Lembranças é Um Quarto Vazio

Quando eu passo a noite em claro e vejo as luzes apagadas
Eu tento entender a minha solidão
Em estar sempre acesa
Sempre em alerta
Esperando algo acontecer
Às vezes algo bom, que chegue e mude os meus dias, meus próximos dias
Já que os dias que passaram, não podem ser mais mudados
Mesmo que eu quisesse
Mas eu sempre quis
Quis mudar
Estou sempre tentando
Às vezes espero algo para piorar, que chegue e leve tudo embora logo
Não agüento mais dividir meu tempo, meus pensamentos, meus medos, minhas vontades, com a solidão
E esse café quase quente que me beija a garganta, todas as noites, noites de quase frio
Uma xícara de café, misturado a uma noite de insônia
Às vezes na boca chega um cigarro, para me tornar um pouco distraído, logo acaba e eu não me distraio com nada
Mais duas horas e já serão duas horas novamente
A dor não vai embora, ou se vai, mal dobra a esquina e já volta correndo para cá
E assim tenho passado os dias e noites, olhando para os lados, observando gente que vem, gente que vai e esperando que algo aconteça.
Imagino que todo mundo tenha um pouco disso, eu tenho muito, talvez meu único defeito seja não ter aprendido um daqueles sorrisos que se assiste na vida real a todo o momento e eu juro que tentei
É, nesse tempo inteiro eu aprendi
Desde aquela ultima vez que não entendi o teu olhar
Que eu não sei viver sem ti
Espero que tu nunca notes isso.

.:Esse texto eu escrevi baseado na história de uma amiga, nem tão amiga, nem tão confiável, mas é alguém, que sofre, sofre por amar demais, ou só por querer:.