sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Passagem

Melhor se fosse como não é
E o que sempre vai ser
Para nunca te agradar
Dói saber que não vai ser contigo
Dói-me ter certeza que não tem como ser mais nada
Mas, ser mais nada, alguém consegue ser?
Tu ainda não conseguiste ser nada para mim
Sempre há algo teu, solto aqui dentro, que os meus pensamentos fazem bater
E machuca muito
“Isso não é nada!”
Não me convence mais
Na hora de chegar, me veio tão bem
Na hora de partir, não foi por inteiro
E agora que o inverno está acabando, algo já te aquece?